O e-mail marketing realmente funciona?

By 24 de novembro de 2016 Notícias No Comments

Algumas empresas e profissionais se utilizam do e-mail marketing de forma incorreta, provocando SPAMs e gerando uma grande dúvida: essa ferramenta funciona realmente? Pois você pode se surpreender com a eficácia desse recurso do marketing digital — basta saber utilizá-lo estrategicamente e de forma correta, respeitando o seu público.

Quando uma pessoa recebe uma mensagem sem saber de onde o remetente conseguiu o seu endereço de e-mail, a primeira sensação é de ter tido a sua privacidade invadida. Afinal, não foi autorizado o envio de nada.

Pensando nisso, o uso do e-mail marketing foi sendo estruturado e hoje existem estratégias para o seu uso com retornos bastante expressivos. Veja só!

Estatísticas do e-mail marketing

De acordo com a DMA, o e-mail marketing tem um ROI (Return On Investiment) na margem dos 3.800%. A empresa ainda salienta a importância do bom trabalho estratégico, considerando que 77% do ROI do e-mail marketing é conquistado por meio de campanhas automatizadas e personalizadas.

No Brasil, o e-mail marketing está cada vez mais popular e já são cerca de 46,3% das empresas que utilizam esse meio para distribuir conteúdo de qualidade ao seu público.

O e-mail marketing funciona sim!

As novas práticas de utilização do e-mail marketing visam conhecer o público-alvo com maior profundidade e oferecer algo de valor em troca de um relacionamento que será construído pelas mensagens.

Veja como o processo acontece na prática:

Buyer Personas e conteúdo de valor

As Buyer Personas são uma criação do programador Alan Cooper. Trata-se de personagens semifictícios que representem o cliente ideal de uma empresa. Ao contrário do conceito de público-alvo, nesse caso, o cliente é visto como um ser único, com características emocionais, psicológicas e comportamentais.

Assim, conhecendo-o melhor e sabendo dos seus interesses e necessidades, é possível desenvolver conteúdos de qualidade e que atendam as expectativas do potencial cliente. Mensagens assim têm menos chances de irem para a lixeira ou de serem reportadas como SPAM.

Landing pages e criação de listas segmentadas

As landing pages são páginas de conversão, basicamente. Elas têm um título, um conteúdo persuasivo, uma oferta e um formulário de cadastro. A ideia é oferecer algo de valor e que seja muito interessante ao seu público. Mas para ter acesso ao produto ou material, o visitante da página precisa realizar o cadastro. Assim, você tem acesso ao nome, endereço de e-mail e outras informações que forem necessárias.

Mas há um alerta nesse processo. Um bom profissional reconhece que o usuário cadastrou o endereço porque está interessado naquele conteúdo em específico, mas isso não dá o direito de enviar dezenas de mensagens sobre conteúdos diversos. Aí é que entra a segmentação como forma de aumentar as conversões.

A ideia é construir landing pages bastante específicas sobre os produtos ou serviços que sua empresa oferece. Com os cadastros realizados, as ferramentas de automação de e-mail marketing criam listas de segmentação de acordo com o interesse dos usuários. No momento de enviar as mensagens, os destinatários só receberão as que tiverem conteúdo referente ao tema que demonstraram interesse. É a mensagem certa para o público certo! Eis o sucesso do e-mail marketing atual!

 

Fonte: Majestade Propaganda

Leave a Reply